Como receber dinheiro do exterior: coisas que você precisa saber

Joao Marcos
28.07.21
Leitura de 4 minutos

Em um mundo extremamente globalizado, cada vez mais pessoas precisam descobrir como receber dinheiro do exterior - seja como pagamento por serviços prestados online, seja em decorrência de negócios no estrangeiro ou por qualquer outra razão.

Sabendo disso, o artigo a seguir traz uma série de informações essenciais para todos que desejam ou precisam receber proventos vindos de fora do Brasil - e querem fazê-lo da forma mais segura, rápida e barata possível.

Wise: sua melhor opção para
transferências internacionais 🚀

Entenda a diferença entre o câmbio comercial e o turismo

Quando alguém deseja saber a cotação de determinada moeda, o normal é que jogue as palavras chave em um site de buscas e simplesmente veja o número que aparece, certo?

O que muitos não sabem, porém, é que este valor corresponde ao câmbio comercial, diferente daquele utilizado nas transações feitas por pessoas físicas.

Para entender as diferenças entre essas duas espécies de câmbio, tenha em mente que:

  • O câmbio comercial é calculado com base na comparação entre duas moedas e será utilizado nas relações comerciais entre empresas e instituições financeiras de dois países;
  • O câmbio turismo é aquele utilizado pelas pessoas no dia a dia, quando trocam moedas em uma casa de câmbio para uma viagem internacional, por exemplo. É também o câmbio que costuma ser utilizado na compra de passagens aéreas ou de artigos em sites internacionais.

Basicamente, os dois câmbios existem e operam concomitantemente, mas em tipos de operações diferentes.

Exemplificando: um turista está viajando do BR para os EUA no mesmo dia em que duas multinacionais (uma brasileira e uma norte-americana) assinam um mega contrato internacional. Enquanto o contrato utilizará o dólar comercial para calcular os valores, o turista entrará em uma casa de câmbio e provavelmente comprará seus dólares com base no dólar turismo (mais caro do que o comercial).

Leia também: IOF em compras internacionais: entenda tudo

Saiba quais impostos você precisa pagar quando recebe dinheiro do exterior

O recebimento de valores vindos do estrangeiro em conta bancária brasileira faz com que alguns impostos sejam cobrados. Os que merecem maior atenção são:

  • IOF: o Imposto sobre Operações Financeiras é um tributo que incide sobre o recebimento de valores do exterior. Sua alíquota poderá ser de 0,38% (quando o dinheiro estiver sendo enviado por terceiro) ou de 1,1% (quando o titular das contas de envio e recebimento dos valores for o mesmo). O desconto do IOF será feito pelos próprios operadores do serviço de câmbio, já no momento da conversão da moeda.
  • IR: as alíquotas do Imposto de Renda variam conforme os proventos anuais do contribuinte, e o dinheiro recebido do exterior também será tributado (a não ser que você se enquadre em alguma das categorias de isenção de declaração ou de pagamento do IRPF).
Leia também: Recebi dinheiro do exterior, preciso pagar imposto?

Compare taxas e tarifas: mas sempre foque no valor final que seu beneficiário vai receber

A dica nº 1 para todos que precisam fazer a conversão de moedas é estudar e comparar os preços dos prestadores de serviço de câmbio. A dica nº 2, tão importante quanto, é: durante as comparações, preste atenção ao valor final que será recebido pelo beneficiário.

Isso porque muitos operadores, no intuito de atrair clientes, dão destaque para a cotação cambial (teoricamente baixa), mas acrescentam outras taxas posteriormente. Esse processo acaba encarecendo a operação, fazendo com que o beneficiário receba menos no final.

Por isso, mais do que simplesmente olhar o câmbio adotado pelo operador, faça uma simulação de remessa e analise exatamente quanto será recebido pelo destinatário final.

Evite transferências que usem o método SWIFT

O código SWIFT (também chamado “BIC”) é um código utilizado para identificar os bancos internacionalmente.

Por isso, quando uma transferência internacional é realizada de forma direta (dinheiro sai do país “A” e é enviado para o país “B”), torna-se necessário informar o SWIFT do banco destinatário, para que as instituições financeiras consigam se comunicar e realizar a remessa.

Esse diálogo internacional acaba gerando custos, que são popularmente chamados de “taxas SWIFT”.

Para quem deseja “fugir” desse custo, uma alternativa é evitar a utilização dos serviços de operadores que utilizam o método SWIFT de transferência internacional (via de regra, os bancos tradicionais).

Leia também: Quanto tempo demora transferência bancária internacional

Abra sua conta com a Wise e comece a economizar com suas transferências internacionais

Ao comparar os custos de diferentes operadores, você verá que a Wise oferece um preço baixo pelos seus serviços, e isso se deve à soma de dois fatores principais:

  1. Na Wise, utiliza-se o câmbio comercial, sem taxas acrescidas; e
  2. O método de envio baseia-se na substituição de uma transferência internacional direta por duas transferências locais. Assim, evitam-se as taxas SWIFT.

Dessa forma, nas suas transferências internacionais incidirão apenas o IOF e a tarifa pelo serviço (que será informada desde o princípio, sem taxas ocultas reservadas para o final da operação).

wise-conta-multimoeda

Vale ressaltar que as operações são seguras, os dados são criptografados e o serviço está de acordo com as normas estabelecidas pelo Banco Central no Brasil.

Como fazer transferências internacionais com a Wise

Além do preço baixo, outro pilar do serviço Wise é a simplicidade desde o momento da criação da conta até a remessa de valores em si. Tudo é feito de forma online, pelo site ou pelo aplicativo, e o cadastro é validado por e-mail.

Após o cadastramento, sua conta Wise já estará ativa - e sem nenhum custo para abertura ou manutenção.

Abra sua conta gratuita aqui 💰

A partir daqui, no momento em que você desejar fazer a transferência internacional, deverá:

  1. Acessar sua conta e clicar em “enviar dinheiro”;
  2. Indicar o valor e as moedas envolvidas na operação;
  3. Escolher a forma de pagamento (“forma de envio”);
  4. Informar os dados bancários da conta beneficiária;
  5. Realizar o pagamento.

No Brasil, é possível pagar apenas via TED ou boleto. Porém, as formas de pagamento variam de país para país - e cada uma terá um custo diferente.

Por exemplo: Para quem está fazendo uma remessa de Portugal para o Brasil, sai mais em conta enviar dinheiro diretamente da conta bancária do que pagar com o cartão de crédito, pois a tarifa de envio é menor no primeiro caso.

A utilização da conta Wise costuma ser bastante intuitiva, pois as plataformas foram construídas de modo a facilitar a utilização, com clareza e transparência em todos os processos.

Todos esses fatores, em conjunto, fazem com que a Wise esteja em expansão desde 2011, acumulando milhões de usuários satisfeitos ao redor de todo o mundo.

Faça uma simulação e veja você mesmo:


Esta publicação foi redigida com o intuito de fornecer informações gerais, sem a pretensão de abranger todos os aspetos do tema em questão. Ela não se destina a fornecer orientação financeira. Você deverá procurar aconselhamento profissional e/ou especializado antes de tomar qualquer ação baseada no conteúdo deste artigo. A informação da publicação não constitui parecer legal, fiscal ou de qualquer outra índole profissional por parte da TransferWise Ltda e seus parceiros. Resultados anteriores não garantem efeitos similares no futuro. Não garantimos de forma explícita ou implícita que o conteúdo da publicação esteja preciso, completo ou atualizado.

Wise é o jeito novo e inteligente de enviar dinheiro para o exterior.

Saiba mais

Dicas, novidades e atualizações para a sua região