Morar no Japão: tudo o que você precisa saber

Joao Marcos

Desde 2019, quando permitiu a concessão de vistos de longa duração a não descendentes de japoneses, o Japão se tornou o país de eleição de muitos imigrantes. Viver no Japão, que está entre os 20 países mais inovadores do mundo¹, tem diversas vantagens.

Saiba como ir morar no Japão e como garantir economia e segurança nas transferências entre Brasil e Japão com a Wise.

Conheça a Wise e economize 💰

Morar no Japão: o que é necessário

Como para qualquer outro país, é preciso se informar e planejar, para migrar para o país asiático. Saiba como fazer para morar no Japão:

  • Ir estudar japonês no Japão
  • Fazer uma faculdade japonesa (ou curso técnico ou profissionalizante)
  • Ter uma proposta de trabalho de uma empresa japonesa

Antes mesmo da abertura à imigração em 2019, já era possível ir morar no Japão através dessas maneiras. O que mudou então? Foi criado um novo visto para profissionais em falta no mercado de trabalho japonês e o governo passou a incentivar a contratação de não descendentes de japoneses.

As regras de visto no Japão são muito rigorosas e cada visto tem características e duração específicas. Por isso, é importante dedicar um tempo pesquisando sobre eles para poder calcular melhor as suas opções.

Como morar no Japão: visto japonês

Para morar no Japão é necessário tirar visto. Mesmo que você primeiro queira visitar o país e se matricular em uma escola ou arrumar emprego enquanto é turista por lá, também vai precisar de um visto. A duração do visto de turista para o Japão é de três meses.

Existem muitos tipos de visto japoneses e pode ser um pouco complicado obter informações. Principalmente no caso de trabalho, pois existem vistos específicos para certas profissões também. Mas os principais de visto para brasileiro morar no Japão são:

  • Visto de estudante: Destinado a todos os tipos de estudantes que fiquem mais do que 90 dias (três meses) no país.
  • Visto descendente de japones: Recentemente foi alargado para descendentes até a quarta geração de japoneses (yonsei), que são os bisnetos.
  • Visto de cônjuge de japonês ou residente permanente no Japão
  • Trabalhadores especializados - Skilled Worker (SW): É um visto de trabalho mais comum, voltado a profissionais de várias áreas que tenham de três a dez anos de experiência (dependendo do setor) e não exige que a pessoa tenha mais do que o nível básico de japonês. Algumas das profissões abrangidas por ele são cozinheiros e trabalhadores de fábricas.
  • Profissional altamente qualificado - Highly Skilled Professional (HSP)
    Destinado a especialistas, como pesquisadores, cientistas e profissionais da área de gestão de negócios, é uma das maneiras mais certas de como trabalhar no Japão sem ser descendente de japonês. Porém, o visto funciona num sistema de pontuação que não é propriamente fácil. Ele é o único que permite levar um acompanhante (cônjuge ou filho, e até mesmo os pais) que ganha visto de familiar de High Skilled Professional.
  • Trabalhadores com habilidades específicas - Specified Skilled Worker (SSW)
    É o novo visto de trabalho japonês, com uma exigência menor de nível no exame de conhecimentos da língua japonesa do que o visto para HSP. Foi criado voltado para trabalhadores de uma das 14 áreas onde há escassez de mão de obra no Japão. Entre elas estão enfermagem, agricultura, restauração, construção e limpeza de edifícios.

Como ainda não estão sendo realizados processos para esse visto no Brasil, você precisa residir em um dos países onde já é possível fazer o exame. Porém, vale a pena ficar de olho nesse visto.

Como é viver no Japão

Viver no Japão é ter segurança e uma qualidade de vida elevada. O governo faz bom uso do dinheiro público e os sistemas de ensino e de saúde pública são de qualidade. A educação japonesa preza a preservação da natureza e há uma forte cultura de atividades ao ar livre.

O Japão é um bom lugar para morar para quem preza por uma alimentação saudável e acessível. Outro fator positivo é que o sistema de saúde japonês é baseado na medicina familiar. Tais fatores contribuem para que a expectativa de vida do Japão seja de 84 anos, a mais alta do mundo.

Pelo fato da população japonesa estar cada vez mais envelhecida, as oportunidades de trabalho aumentaram muito para estrangeiros.

Quanto custa morar no Japão?

Agora que você já tem uma ideia de como é morar no Japão, também pode estar se perguntando se esses pontos positivos todos custam caro. Bem, o custo de vida no Japão é um dos mais altos do mundo, sendo o aluguel o maior gasto dos japoneses.

Porém, os preços de moradia (aluguel e contas), alimentação e transporte podem cair pela metade caso você não viva em uma grande cidade como Tokyo. Dependendo do estilo de vida e do salário que se tem no país, sempre é possível conseguir guardar algum dinheiro.

Quanto preciso levar para o Japão?

Esse valor é muito relativo, porque depende do tempo que você vai ficar lá, a razão da sua viagem e se vai trabalhar no Japão. Mas tenha em mente que você vai precisar de mais de ¥ 200.000 (cerca de R$ 6.000) para viver um mês no Japão.

Vai morar no Japão? Planeje suas finanças

Como falamos anteriormente, a moeda oficial do país é o iene japonês, e sabendo que terá de trocar seus reais por ele, saiba que pode economizar muito se usar a Wise.

Wise vs Bancos: poupe nas taxas e burocracias

O problema, ao trocar a moeda ou enviar remessas, é que as instituições financeiras irão lhe cobrar custos ocultos na taxa de câmbio comercial, além da tarifa pelo serviço, IOF e taxas Swift. Entenda o que pode fazer com a Wise:

  • Transferências internacionais baratas, com o câmbio comercial: você pode fazer seus envios para a conta de um conhecido que está no país de destino, sem taxas Swift nem os custos sobre o câmbio comercial. Você sabe exatamente quanto paga e quanto chega no destino, sem surpresas desagradáveis, e economiza seu dinheiro.

Abra sua conta gratuita 🚀

Morar no Japão vale a pena?

Para quem migra para o Japão sem poder levar a família junto, pode ser muito difícil querer continuar no país. Mas há quem não ligue de ir sozinho, ou até mesmo prefira. Por isso, achar que vale a pena morar e trabalhar no Japão vai depender de uma pessoa para outra.

As melhores cidades do Japão para morar

Você está pensando “quero morar no Japão”, mas não conhece muito bem as opções? Veja os cinco melhores lugares do Japão para morar:

  1. Tóquio
    É a cidade mais futurista e movimentada do Japão. Há uma infinidade de restaurantes, lojas e bares que ficam abertos até altas horas, sempre lotados. Apesar disso, preserva a cultura milenar japonesa.

  2. Osaka
    O centro econômico da região de Kansai é uma das três cidades mais populosas do Japão. Tem um custo de vida mais acessível e também é conhecida por ter o povo mais sociável e acolhedor do país. É uma ótima cidade para morar no Japão hoje, sendo perto de várias outras cidades. O que torna também mais fácil poder conhecer outras áreas do país.

  3. Kyoto
    Já foi capital do Japão e, por isso, abriga diversos patrimônios históricos (e da humanidade) e é o polo cultural do país. Recebendo milhares de turistas durante o ano inteiro. É em Kyoto que está uma das universidades mais renomadas do mundo.

  4. Sapporo
    Sapporo é a capital de Hokkaido, uma ilha montanhosa mais ao norte do arquipélago japonês. É a região mais fria do país e que conta com algumas das melhores pistas de esqui do mundo. Os moradores de Sapporo vivenciam quedas de neve durante o inverno e passam por verões mais amenos. A cidade tem uma alimentação baseada em frutos do mar. E em dias mais claros é possível avistar parte da Rússia no horizonte.

  5. Fukuoka
    A maior cidade do sul do Japão, é conhecida pela gastronomia e pela vida noturna. Tem muitos centros comerciais e boas oportunidades de emprego. As diversas barracas de comida ao longo do rio da cidade também são muito conhecidas. De Fukuoka sai uma balsa que leva até a Coréia do Sul em três horas.

Outras cidades, que são boas para morar e estudar no Japão, são:

  • Yokohama
  • Kofu
  • Kobe
  • Nagano
  • Nagoya

Fonte usada neste artigo:

  1. Bloomberg ranking - Países mais inovadores do mundo (IN)

Fontes checadas pela última vez em 11 de Janeiro de 2021.


Consulte os termos de uso e a disponibilidade de produtos para a sua região ou visite tarifas da Wise e preços para obter os preços mais atualizados e informações sobre tarifas.

Esta publicação é fornecida para fins de informação geral e não constitui aconselhamento jurídico, tributário ou outro aconselhamento profissional da Wise Payments Limited ou de suas subsidiárias e afiliadas, e não se destina a substituir a obtenção de aconselhamento de um consultor financeiro ou de qualquer outro profissional

Não fornecemos nenhuma declaração, garantia ou aval, expresso ou implícito, de que o conteúdo da publicação esteja preciso, completo ou atualizado.

Dinheiro sem fronteiras

Saiba mais

Dicas, novidades e atualizações para a sua região